sexta-feira, setembro 30, 2011

SER FORTE

Sei que não dormiste bem hoje...
Por minha causa, filha?
Mas porquê, se estou bem?
Se estou a zelar por ti,
tal como te disse o teu amigo
quando te abraçou
e te deixou chorar???
Porque tens que chorar, filha
e não te preocupes com os outros,
sempre a dizerem que tens que ser “forte”...
Chora o tempo que quiseres: eu escuto-te.
Sei que nem sempre te compreendi,
não te deixei voar como devia....
Mas, filha,
trataste-me sempre como um rei;
deixaste-me partir em paz e com dignidade....
E isso é a melhor prenda que alguma vez me deste.....


Em memória do meu Pai
15/6/1922 - 30/7/2011

Poema de minha autoria
e dedicado à memória do meu Pai

O "Com Amor" ficará em suspenso algum tempo;
com a morte do meu Pai,
iniciou-se uma nova fase,
um novo ciclo de vida.
Não é um "adeus"; é um "até breve".
Obrigada pela companhia;
ajudaram-me...
A dor está cá,
mas a vossa companhia atenuou-a.

8 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Sentimento de saudade `flor da pele, fica-te bem!
Beijos

Paixão Lima disse...

No banquete da vida a amizade é o pão e o amor é o vinho.

Que à sua mesa nunca falte o pão e o vinho.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Perder um pai,
é uma dor intensa...

Entendo tuas palavras
e divido com você
nossa saudade...


Que os sonhos te habitem
o coração, sempre...

Canteiro Pessoal disse...

Lindo vosso espaço!

Priscila Cáliga

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Alguém disse um dia: " saudade é o amor que fica" Nunca ouvi definição mais linda" É isso que vai ficar do teu pai...uma saudade imensa fruto do amor que existia entre vós. Os amigos nestas horas são importantes e ajudam a aliviar essa dor. Um beijinho, amiga e fica e chora o tempo que achares necessário
Emília

Ulisses José Da Silva disse...

Tenha uma linda semana, beijos !!!

argumentonio disse...

fase nova é a vida em cada dia, embora o amanhã seja porta boa
para o sonho de hoje

todos os dias renascemos
refazemos forças
e quem somos

mesmo sob um céu de nuvens
bem sabemos
que acima delas paira o sol

e se o queremos ver,
ter o seu calor e luz
saímos debaixo das nuvens

da mesma terra, um passo mais
fazemos um novo céu
e olhamos o sol

pois é: sem medo de andar,
somos nós que o fazemos brilhar
dia a dia, sempre a começar

;_)))

tecas disse...

Delicia de poema, querida Marta. Sentimento de saudade bem marcado.
Amor de pai!!!!Amiga, eu já comentei este poema, mas não vejo o comentário. Bjito amigo e uma flor.