sábado, janeiro 28, 2012

ENSAIO

O que peço aos céus,
só os olhos sabem...
Na poesia das estrelas,
na prosa de desafio,
são lembranças felizes.
Delas, não troça o Vento,
não as destrói.
Porque, no seu sopro,
escrevo feliz....
 
II
 
O que peço aos céus,
só os olhos sabem...
Querem a verdade,
que disfarças
em palavras mentirosas.
Olha-me nos olhos e fala.
Sei que vou sofrer;
vou gritar quando a dor me rasgar.
Mas quero que seja agora,
agora que conheço
a verdade escondida.
Dói menos...
 
Dois poemas diferentes,
a partir da mesma frase
 
Poemas de minha autoria
Direitos de autor reservados
 



4 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Dois poemas a revelarem bem teu o dom de pensamento poético. É privilégio ler e reler como, por vezes faço e fiz agora.
Beijos

Evanir disse...

Com amor venho desejar um feliz Domingo.
O amigo Daniel expressou muito bem seu poema estou de acordo com ele.
Beijos no coração.
Evanir

Sofá Amarelo disse...

O vento pode transportar felicidade sempre que se queira... mas quantas vezes a felicidade vem nublada de dor escondida, rasgada em palavras.

Mas a verdade está sempre no sopro do vento!

Lídia Borges disse...

Quando a dor e a coragem se enfrentam, olhos nos olhos...

Um beijo