quinta-feira, fevereiro 02, 2012

FINAS E FRÁGEIS

Por vezes,
há que pôr um ponto final
nas palavras...
Tão gastas,
tão finas e frágeis
como uma teia de aranhas.
Envelhecem como o corpo.
Quebram-se como o espelho.
Cansam-se como o olhar.
E, ficam tão vazias
como uma máscara de Carnaval,
depois de uma noite de folia.

Poema de minha autoria
Direitos de autor reservados
 

3 comentários:

Anita de Castro disse...

Marta palavras finas e frágeis~
Mas não deixam de ser palavras mesmo que estejam gastas ,
Procuramos sempre o seu sentido
Um beijinho

Sonhadora disse...

Minha querida

Passando para agradecer a visita e como gostei de tudo o que li aqui, resolvi ficar.

Deixo um beijinho
Sonhadora

Daniel Costa disse...

Marta

Desde já o meu aplauso pela nova versão. Se ainda fora necessário o teu carisma de poetisa está aqui bem patente. Podes bem dispensar "MULETAS".
Beijos