terça-feira, agosto 14, 2012

CHUVA DE VERÃO




Se pudesse,
dir-te-ia o que sinto

Mas não consigo,
- não sei porquê -
e vagueio, solitária,
pela chuva de Verão...

Amo-te tanto...
E não to sei dizer...


Underwater” Salih Guler

5 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

A maior parte vezes, o amor nos emudece.

Beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

há sempre outras maneiras de dizer

amo-te

sem ser por palavras.

beij

O Profeta disse...

Tão triste nasceu hoje o Verão
Tão agreste sopra este colérico vento
Tão molhada está esta verde terra
Tão cinza está um coração em desalento

Mentem os que disserem que perdi a Lua
Os que profetizaram o meu futuro de luz
Mentem os que acharam que não me visto de sentimento
Os que acham que apenas a mentira seduz

Acolhi no olhar todas as coléricas vagas que alcancei
Abracei uma roseira e senti o golpe dos espinhos
Senti o aroma errante das hortênsias
Numa viagem por sete caminhos

Bom fim de semana

Doce beijo

Sofá Amarelo disse...

Quando se vagueia pela chuva de Verão as palavras teimam em não sair...

LUZ disse...

Olá Marta,

Embora seja muito importante ouvir, o olhar e os gestos, também transmitem sentimentos.

Beijos da Luz.