sábado, abril 27, 2013

CONFISSÃO


Tela de William Bouguereau "La Vague"


Os sonhos....

Sente-os... Como se fossem as ondas do mar....

Gigantes...Poderosos e Implacáveis como o Adamastor....

Ternos... Misteriosos e Loucos como os amantes....

Os sonhos.....

Confessa-os....No silêncio da minha pele suada.....

6 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Os Sonhos são para partilhar, quer sejam como as ondas do mar ou misteriosos e loucos como os amantes... os Sonhos são para serem confessados sempre no silêncio das peles suadas...

Nilson Barcelli disse...

Os sonhos também se confessam...
Belo poema, gostei.
Tem um bom resto de domingo e uma boa semana, querida amiga Marta.
Beijo.

manuel marques Arroz disse...

Viver é ter sonhos...

Beijo.

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Os sonhos sentem-se...por vezes compartilham-se, outras, porém guardámo-los só para nós. De tão " misteriosos e loucos " temos até receio de os confessar; às vezes nem nós mesmos os entendemos. Mas...vale sempre a pena sonhar!!! Beijinhos e parabéns! Lindo,como sempre
Emília

Daniel Costa disse...

Amiga Marta

Que maravilha de definição poética dos sonhos. O poema deve ser considerado um dos teus belos pensamentos.
Beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

sonhos nossos
por vezes inconfessáveis

beijo

:)