quarta-feira, julho 10, 2013

AVENTURAS COM O VENTO







TELA DE JW WATERHOUSE “MY SWEET ROSE”



Não tenho a doçura da chuva...

Compreendo os silêncios do tempo....

Envolvo-me em aventuras com o Vento....

Perco-me na solidão do deserto...

Sonho com poemas escritos no Mar....

Ás vezes, pergunto-me o que procuro....

Nada ” respondo ” Apenas seguir esta estranha vontade de voar...”

4 comentários:

Sofá Amarelo disse...

E é no voar que está a génese dos silêncios do tempo, porque a doçura da chuva quando se envolve com com o Vento, acaba em aventuras de poemas escritos em forma de sonhos...

Paixão Lima disse...

Tem vontade de voar...
Nada há que estranhar.
E se tem asas, e eu sei que tem, faça uso delas e voe...
Ficará sabendo que nada melhor que voar bem alto por entre as nuvens bem junto ao Infinito.
Bom voo...

Nilson Barcelli disse...

Não acho nada estranha essa vontade de voar...
Belo poema, gostei.
Marta, querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijinhos.

Daniel Costa disse...

Marta

A vontade de voar, só por si. constituirá a doçura de que impregnas o poema.
beijos