sexta-feira, fevereiro 21, 2014

CHUVA


Foto de José Alex Gandum


Como eu gostava...
De iluminar a chuva
E não entristecer
tanto a noite...

Não me sentir tão desajeitada
E escrever com os olhos
as histórias
que aqui dançam...

Como eu gostava...
Que a chuva 
não me levasse as palavras...

7 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta, a chuva tanto pode levar as palavras, como as inspirar. No caso, é possível a chuva, sem te aperceberes, ter sido teu guia.
Beijos

Nilson Barcelli disse...

Mas, neste poema, a chuva trouxe-te as palavras...
Magnífico poema, como sempre.
Marta, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijos.

AC disse...

" Como eu gostava...
Que a chuva
não me levasse as palavras..."
Esse lamento, Marta, é de uma grande beleza.

Beijo :)

Sofá Amarelo disse...

A chuva leva não só as palavras mas também a luz e as histórias que dançam nas palavras iluminadas pela chuva da noite...

Manuel Luis disse...

Como eu gosto da chuva com palavras!
Que chova mais para chapinhar nas tuas letras.
Bj

© Piedade Araújo Sol disse...

eu costumava dizer que a chuva devia ter cores.

esta chuva, a tua, tem palavras.

:)

Teresa Poças disse...

"escrever com os olhos
as histórias
que aqui dançam..."

Seria a vida tão fabulosa se não pudéssemos endrominar aquilo que os olhos vêem?
Vivemos à volta da questão mas nunca lá chegamos e é isso que nos faz dar tantas voltas.

Adorei este poema! Muito profundo!

Visite o meu blog:
http://esculturadepalavras.blogspot.com

beijinhos