sexta-feira, junho 26, 2015

RABISCO




Não sei o que digo hoje ao Vento
Pois se sou um mero rabisco na noite...
Um véu, uma máscara
Todos têm um nome para mim
E raros são os que me chamam Luar...



"I SPEAK FLUID COLORS" BY MARIA GRONLUND

5 comentários:

Agostinho disse...

É de noite que o luar se identifica pelo perfume da rosa
De dia é um risco o rabisco dissolve-se entre sedas e linhos
pensando no poema da noite

Daniel Costa disse...

Marta, palavras leva-as o vento, diz-se, portanto voam como o vento, logo é bom serem alumiadas com um pouco de luar.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

Não é preciso dizer nada ao Vento quando se rabisca na noite um véu ou uma máscara...e que dizer do Luar que brinca com o Vento nas noites quentes de Verão?

Mar Arável disse...

Há noite tudo é mais claro

© Piedade Araújo Sol disse...

à noite os sentires se soltam...mesmo que não exista vento...

:)