terça-feira, setembro 08, 2015

ANGÚSTIA




Hoje, sonho as palavras...
Num poema impossível de escrever...
Pois posso quebrar o encanto
e já perdi tanto...
Que não sei se aguentarei mais
toda esta angústia...


TELA DE ALBERTO PANCORBO

7 comentários:

Mar Arável disse...

Um dia aprenderemos

que o mar fala por gestos
Bjs

Ailime disse...

Boa noite Marta,
Estou voltando aos poucos e as férias foram boas.
Agradeço muito a sua atenção.
Sobre o seu poema, magnifico!
A angústia um mal terrível que nos devora!
Um beijinho.
Ailime

Sofá Amarelo disse...

Por mais que se rasguem as telas e os poemas sejam impossíveis de escrever, o encanto é sempre frágil e não convém quebrá-lo...

Graça Pires disse...

A angústia do poeta. A angústia das palavras que nos fogem...
Um beijo, Marta.

Jaime Portela disse...

O poeta é uma angustiado... Por isso, nunca está sozinha...
Um belo poema, gostei imenso.
Marta, tenha um bom fim de semana (está perto...).
Abraço poético.

© Piedade Araújo Sol disse...

nenhum poema é impossível de escrever.

Poeta em desassossego mas com sede de rumar trilhos, a angústia logo passará.

um beijo

:)

Agostinho disse...

As mãos que rasgam,
moldam o barro também
que medo te manieta
o afago que sabes tão bem?