quinta-feira, março 31, 2016

LABIRINTO




Hoje nada é ridículo
Se derramamos cores fortes
nas sombras da noite
e percorremos o labirinto das paixões...
Apenas a tua ausência o é 
...(ridícula)...


"SEPTEMBER MORNING" JOHN WORTINGHEN

7 comentários:

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Marta.
Apenas a ausência é ridícula - sim, concordo.
Gosto.
bj amg

Mar Arável disse...

Por vezes sós

mas nunca isolados

Daniel Costa disse...

Claro Marta, nada é ridículo se não o ridicularizarmos.
Bjs

Jaime Portela disse...

Na verdade, há ausências ridículas.
Magnífico poema, gostei muito. Como sempre, aliás.
Bom fim de semana, querida amiga Marta.
Beijo.

Mariangela do lago vieira disse...

Sim, muito verdadeiro.
Beijos, Marta!
Mariangela

Sofá Amarelo disse...

As ausências são todas ridículas porque simplesmente não deviam acontecer, mesmo quando tudo o resto não é ridículo, as ausências teimam em sê-lo...

Agostinho disse...

A ausência desfeia a pertença.
Egoísmo, timidez...


Bj