domingo, outubro 30, 2016

PAPEL SECUNDÁRIO



Continuo a andar por aí…
Com o olhar preso ao chão
Não será por vergonha
Nem mesmo por medo
De memórias adversas…
Não... é porque hoje é um dia brilhante…
E eu tenho apenas um papel secundário…



DE DORINA COSTRAS

7 comentários:

Mar Arável disse...

Não se pise
Bj

Graça Pires disse...

Há um labirinto perturbante a subverter os caminhos desejados...
Belo, Marta!
Uma boa semana.
Beijos.

Daniel Costa disse...

Marta
Poeta ou poetisa, até ver, será sempre escritor de papel secundário. Quem souber bem ler o teu poema, verá que nem sempre tem de ser assim.
Bjs

Sofá Amarelo disse...

Já houve alguém que tinha um 'papel principal' (poema de Adelaide Ferreira) e que afinal não o soube interpretar, por isso ter um papel secundário não significa necessariamente que se esteja subalternizado... em especial se competindo com o Sol e o seu brilho, é impossível não ter mais que um papel secundário...

zoel vyxar disse...

The best solution and famous since ancient times to conquer the hearts of the idol's heart to accept love, click here to contact us

Ailime disse...

Boa noite Marta,
Jamais teremos um papel secundário.
Somos o que somos e valemos muito mais do que imaginamos.
Mesmo que os outros não pensem assim ...
Mar Arável tem razão.
Beijinhos com carinho.
Ailime

Agostinho disse...

Os papéis secundários são cruciais e também ganham Óscares.
Como brilhariam as estrelas sem secundários e figurantes.
E quem sabe se, na convergência de dois astros a personagem não irá brilhar intensamente?
Bem formalada a poética encontrada, Marta.
Bj.