domingo, dezembro 18, 2016

RUÍDOS



Discursam...
Sobre o silêncio do Mar
e o ruido do Tempo...
Eu nada sei sobre isso...
Pois o Mar confessa-se aos meus pés
e quanto ao Tempo...
Há muito que não lhe escrevo...




FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

4 comentários:

Sofá Amarelo disse...

O Mar confessa-se aos nossos pés quando as ondas enrolam na areia de mansinho e se espraiam preguiçosamente pelo silêncio da tarde...

Mar Arável disse...

Muito para lá dos azuis

Graça Pires disse...

O mar e o tempo a fazerem ecoar as palavras no poema e no coração de quem lê... Muito belo, Marta.
Um Natal BOM e um Ano Novo MELHOR.
Beijos.

Jaime Portela disse...

Um poema bem humorado.
E gostei muito, é magnífico.
BOAS FESTAS, querida amiga Marta.
Beijo.