domingo, março 12, 2017

PERGUNTAS



Continuo escondida
na sombra do Vento…


Sigo-o pelas vielas
escuras e sujas
que todos ignoram…


Não faço perguntas…


Sigo apenas o Vento…
E sou a sombra
da minha própria sombra...




DE DUH HUYN

8 comentários:

Sofá Amarelo disse...

'E sou a sombra da minha própria sombra...'... nunca ninguém pensou que a sombra também pode ter... sombra! E que a sombra da sombra também pode estar exposta ao vento... porque nunca ninguém fez perguntas ao vento sobre as suas próprias sombras...

Graça Pires disse...

Esconder-se no vento para vencer o caos no lugar onde se amam as sombras...
Muito belo, Marta.
Uma boa semana.
Beijos.

Mar Arável disse...

Não há sombra sem luz
Bj

Manuel Veiga disse...

são os pirilampos quem mais brilha na escuridão!

beijo

Ailime disse...

Boa tarde Marta,
Que poema tão belo!
O vento é tantas vezes acariciador e nos liberta das sombras.
Um beijinho,
Ailime

Jaime Portela disse...

A discrição quase sempre é uma boa opção.
Mas em sempre...
Magnífico poema, gostei imenso.
Querida amiga Marta, continuação de boa semana.
Beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

mas é a luz que faz a sombra

e todos nos escondemos de algo, talvez até da nossa própria sombra.

um poema inquietante, mas, eu gostei.

beijinhos

:)

Agostinho disse...

Tiro-te o chapéu. Belíssima essa intimidade com o vento, a sombra da sombra.
Bj