quarta-feira, julho 17, 2019

SABOR DO VENTO



Há dias…
em que ignoro a escuridão...
E deixo a mente
flutuar ao sabor do Vento…

IMAGEM DE FELIX MAS


9 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Amei!!
Beijo, boa noite!

Editor IPC disse...

Que delirio, com a alma esperada!Bravo!

isaias

Roselia Bezerra disse...

Boa noite de paz, querida amiga Marta!
Mente ao vento... 💝 fresco e amoroso.
Tenha dias felizes!
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

FILOSOFANDO NA VIDA disse...

Boa noite!
Hoje senti saudade de visitar os amigos e as amigas blogueiras. Ando um pouco afastada das visitas, a saúde não anda muito legal, mas com fé em Deus estou superando. Nada grave, só a tendinite que me prejudica teclar.

Certo dia,
Passou uma criança e achou que aquela flor era parecida com ela: bonita, mas sozinha.
Decidiu voltar todos os dias.
Um dia regou, outro dia trouxe terra, outro dia podou, depois fez um canteiro, colocou adubo...
Um mês depois, lá onde tinha só pedras e uma flor, havia um jardim!..."

Assim se cultiva uma amizade
E como nem sempre a distância nos
permite cultivar as amizades como gostaríamos, espero que esta mensagem possa ser um pouquinho de adubo, para que a nossa amizade nunca morra por falta de cultivo.
Parabéns pelo post, sempre com bom gosto e criatividade.
Tenha um fim de semana feliz e abençoado. Beijo no coração.


Larissa Santos disse...

Tão lindo :))

Hoje:- Afastam-se as nuvens do céu azul.

Bjos
Votos de uma óptima Quinta - Feira.

Jaime Portela disse...

E viva a luz...
Marta, continuação de boa semana.
Beijo.

Sofá Amarelo disse...

E haverá coisa melhor que deixar a mente flutuar ao sabor do Vento?

© Piedade Araújo Sol disse...

e é ao sabor do vento que por vezes nos encontramos....

beijinhos

:)

Humberto Maranduva disse...

Quando me questionam sobre instinto e desejo - as duas componentes da sobrevivência -, apresento sempre a metáfora do veleiro. Aqui, a âncora é o instinto e o desejo são as velas. Estas obedecem à inconstância e à velocidade do vento; já a âncora, tal como o instinto, é rígida(o), fixa(a) e inelutável.
Se a noite não puder ser boa conselheira, voemos nas asas da imaginação, caso o vento esteja de feição.
Beijos.