segunda-feira, fevereiro 28, 2005

A BELEZA DA MANHÃ

Manhã
Como um fruto que mostra
Aberto pelo meio
A frescura do centro
Assim é a manhã
Dentro da qual eu entro
Sophia de Mello Breyner Andersen - Livro Sexto

Também eu gosto da manhã, daqueles minutos em que se abre as cortinadas, a janela e se deixa o ar entrar para reciclar os cheiros da noite.
Pertence-me; a mais ninguém!
Depois, Deus decide o resto!

Sem comentários: