terça-feira, agosto 30, 2005

MAGOAR


IMPROVISO NA MADRUGADA
Húmido de beijos e de lágrimas,
ardor da terra, com sabor a mar,
o teu corpo perdia-se no meu.
(Vontade de ser barco ou de cantar)
Eugénio de Andrade

O meu corpo não se perde no teu, porque tu não queres;
não me queres magoar!
Mas não sei o que me magoa mais - o facto de não me queres magoar ou de me estares mesmo a magoar com o teu silêncio e com a tua distância!

Sem comentários: