domingo, fevereiro 25, 2007

RAZÃO PARA O FUTURO


Escuro

Pergunto-me desde quando
deixou de haver futuro
nas janelas.
Janeiro dói nos olhos
como areia
e tu e eu estamos para sempre
sentados às escuras
no Verão.
de Rui Pires Cabral
O meu comentário???
Também fiz essa pergunta.............
Há muito tempo,
quando pensei que tinha perdido tudo........
A razão de estar viva,
ou aquilo que eu pensava ser a razão de estar viva...........
Não era nada; estava às escuras, desconhecia tudo.......
Uma janela aberta, por onde entra o vento e o sol brinca,
devolve-nos a razão para se estar viva................
Basta sair e deambular sem sentido por aí
.........encontra-se uma razão para o futuro..........................

4 comentários:

Alvaro Gonçalves disse...

Oi minha amiga,

Assim a trato por sentir algumas afenidades com o que fala, e pelo carinho que me deixou quando me visitou.
Diz que lá chegou e entrou como "intrusa" e me pede desculpa por isso, agora eu aqui lhe peço, não peça desculpas e muito menos por dizer o pensa e sente pois isso para mim é importante e a sua visita apesar de inesperada, pois foi a primeira vez, foi recebida por mim com grande alegria e emoção.
O meu profundo obrigado.
Amei estas palavras, tanto as de Rui Pires Cabral, mas mais ainda a sua reflexão sobre elas e sua partilha connosco e agora neste momento, neste instante comigo.
Mais uma vez obrigado.
Num até breve lhe desejo um bom Domingo e de uma semana cheia de luz em seu coração.
Bjokas mil e xi - corações.

Jofre Alves disse...

Aqui nunca ficamos no escuro, pois brilham sempre uns raios de luz em forma de prosa poética e carinho. Bom fim-de-semana.

particulasdotempo disse...

Olá amiguinha...

Grande refexão esta de Rui Pires Amaral, "Escuro" mas sempre com raios de luz no despontar do nascer de um dia, em cada dia haverá sempre um esperança dentro do nós.

Beijinhos Zita

DE PROPOSITO disse...

Alguem disse que 'A razão tem razões que a razão desconhece'.
Mas neste momento apetece-me a interrogar:
_E será que a razão, tem sempre razão?
Fica bem.
Um beijinho para ti.
Manuel