sexta-feira, maio 09, 2008

VIVEM AS CANÇÕES

NÃO ME PEÇAS MAIS CANÇÕES




António Botto




Não me peças mais canções



Porque a cantar vou sofrendo;



Sou como as velas do altar



Que dão luz e vão morrendo,



Se a minha voz conseguisse



Dissuadir essa frieza



E a tua boca sorrisse!



Mas sóbria por natureza



Não a posso renovar



E o brilho vai-se perdendo...



-Sou como as velas do altar



Que dão luz e vão morrendo





O meu comentário???


Alguém vai sorrir...


Alguém vai recordar....


O brilho vai ficar.....


Desabafar toda a dor...


Toda essa angústia....


As velas voltam a acender-se....


Numa homenagem a essas canções...


Afinal, estão vivas...


significam alguma coisa para alguém.....


3 comentários:

Sol da meia noite disse...

Por vezes insiste-se em tocar no que magoa...
Há um tempo de silêncio a ser respeitado.
Esse tempo é a ponte que nos faz passar das lágrimas aos sorrisos. É preciso atravessa-la devagar, para dos sorrisos não cairem lágrimas.

Beijos

tufa tau disse...

o silêncio? pedi-o por uns tempos
exigi-o a mim própria para conseguir paz
agora já canto por dentro, só eu me oiço
e que bem que sabe!
por as velas se foram acendendo

beijo

BC disse...

Sempre a poetisar, não sei se a palavra existe, mas também que importa.O importante mesmo são as palavras.
Passa lá por casa.
Beijinhos