quinta-feira, outubro 22, 2009

AMAR E MAR

Beijo pouco, falo menos ainda.

Mas invento palavras

Que traduzem a ternura mais funda

E mais cotidiana.

Inventei, por exemplo, o verbo teadorar.

Intransitivo:

Teadoro, Teodora.


Neologismo de Manuel Bandeira


O meu comentário???

Não posso inventar um verbo com o meu nome...

Ou talvez possa,

se trocar as letras...

Traduzir o meu nome no verbo "Amar"...

Simplesmente "Mar" ou "rara"...

Porque falar, eu falo pouco...

Beijar....

beijo-te muito.....

Com ternura.

Com amor.

6 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Marta,

Suas palavras seduzem com ternura, com amor.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

a magia da noite disse...

nem sempre é preciso pronunciar a palavra para senti-la num beijo.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Não precisas de inventar um verbo com o teu nome: a tua poesia já o fez por ti.
Bjs

Jacarée disse...

Marta,
Bela sedução...
Votos de um excelente fim-de-semana.
Bjs e borrifes de Jacarée.

continuando assim... disse...

a arte de inventar palavras!

gostei :)


bfds

teresa

Graça Pires disse...

Manuel Bandeira, excelente!
Gostei do teu poema "Não posso inventar um verbo com o meu nome..."
Um beijo.