sábado, outubro 24, 2009

ESCRITA NO OLHAR

Poema
E que o mar se levante em pranto...
E que o sol fique pálido e branco...
Que o vento estremeça de espanto
Vou querer-te em meus braços enquanto
Os teus braços me sirvam de manto...
de Piedade Barbedo (Livro "II Antologia de Poetas Lusófonos)
O meu comentário???
Os meus braços...
parecem-me vazios, às vezes..
Escondo as lágrimas nos cantos...
Com a tua ausência escrita no olhar...
Não tenho medo do mar...
Sinto-me em paz quando o vejo....
Se juntar o meu pranto ao dele....
Se quem me abraça é o vento...
Sinto um estranho conforto
e olho em frente...

5 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

O mar leva e traz tantas coisas... inclusive nossos pensamentos.

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-

Grupo Cero VersoB disse...

Sim,
e desde então serei
quem serei
a escrever palavras:
no mar
e no olhar
um infinito do humano
a nos retratar...

infinito enquanto dure
para o amor
e
o poeta
que se libere
em minha pena
enquanto
(eu) dure...


parabéns pelo blog!
um abraço,
na poesia,

Luis F disse...

Gostei muito de ler este meu poema, um excelente momento.

Os meus parabéns

Com amizade
Luis

Daniel Costa disse...

Marta

Quando, enfim te visito, acabo por te considerar um boa poetisa.
Aqui por exemplo, em conjunto, li um bom e interessante poema.
Beijos,
Daniel

uminuto disse...

o conforto da dor partilhada
um beijo