sábado, fevereiro 06, 2010

QUEM AS DIZ

É por dentro de um homem que se ouve
o tom mais alto que tiver a vida
a glória de cantar que tudo move
a força de viver enraivecida.
Num palácio de sons erguem-se as traves
que seguram o tecto da alegria
pedras que são ao mesmo tempo as aves
mais livres que voaram na poesia.
Para o alto se voltam as volutas
hieráticas sagradas impolutas
dos sons que surgem rangem e se somem.
Mas de baixo é que irrompem absolutas
as humanas palavras resolutas.
Por deus não basta. É mais preciso o homem.
"Nona Sinfonia" - Ary dos Santos in "O Sangue das Palavras"
O meu comentário???
As palavras são livres...
Tornam-se eternas e sagradas
para quem as declama por amor.
Para quem diz na poesia a essência da vida...
Deixa as verdades nas entrelinhas...
Nos sons que as encantam...
Numa canção de louvar...
Seja a Deus...
seja ao Homem...
Que fiquem...
No coração de quem as diz,
de quem as ouve.
De quem as escreve,
com toda a certeza
de que são absolutas...

4 comentários:

Je Vois la Vie en Vert disse...

Temos que ouvir o que nos diz o nosso corpo e a nossa alma porque eles nos conhecem !

Beijinhos

Verdinha

Daniel Costa disse...

Marta

Vendo-te comentar poéticamente poemas de outrem, o fazias bem. Perguntava-me: porque é que a Marta, apesentando-se como boa poesia, usa este sistema. Pronto depois vi que é opção.
Com o Ari, o anterior que vi era mais forte. Apesar disso o que escreveste podia considerar-se conseguido mas acredita: achei-te o presente melhor ajustado.
Terei sido exigente, desculpa. Não sei dizer o contrário do que penso e pedias opinião.
Beijos
Daniel

JORDAS disse...

Gosto de ler Ary, esse poeta do homem.
Poeta e declamador extraordinário.

MCampos disse...

Uma excelente escolha, Marta, o poema de Ary. E os seus comentários são poemas sobre poemas. As palavras que fiquem no coração de quem as ouve/lê. Ficaram no meu.

Um abraço e boa semana.