segunda-feira, janeiro 31, 2011

ISSO

Por teus olhos negros, negros
Trago eu negro o coração,
De tanto pedir-lhe amores...
E eles a dizer não.

E mais não quero outros olhos,
Negros, negros como são;
Que os azuis dão muita esp'rança
Mas fiar-me eu neles, não.

Só negros, negros eu os quero;
Que, em lhes chegando a paixão,
Se um dia disserem sim...
Nunca mais dizem que não

"Olhos Negros" de Almeida Garrett

O meu comentário???
Os meus olhos são castanhos...
Nunca te perguntei se gostavas deles...
Sempre me olhaste nos olhos...
Sempre me amaste
com os teus bem abertos...
Como se quisesses memorizar
todos os traços do meu rosto....
Se me procuras, se me desejas...
Se eu te quero, se eu te abraço....
Se o que lemos nos olhos um do outro
é a paixão que sentimos....
Basta saber isso.....


4 comentários:

JPD disse...

Boa noite, Marta

Desafio

«REMATE PARA QUALQUER POEMA»

«Passeou pelos espelhos dos dias
suas clandestinas alegrias
que mal se reflectiram desertaram»

In:
«AQUELE GRANDE RIO EUFRATES»
Rui Belo

Bjs

Graça Pires disse...

Almeida Garrett, a ficar tão esquecido. Ainda bem que o trouxeste aqui.
Procuras nos teus olhos outros olhos e sabes que apenas o brilho do olhar conta "Basta saber isso."
Um grande beijo, Marta.

Hanukká disse...

Porém Tu, Senhor, És um escudo pra mim, a minha glória, e o que exalta a minha cabeça.
Com a minha voz clamei ao Senhor, e ouviu-me desde o seu santo monte.
Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou.
SL 3:3-4-5

DEIXO COM ABRAÇO DE PAZ E ALEGRIA DO PAI EM TEU CORAÇÃO.

Daniel Costa disse...

Marta

Almeida Garrett escreveu um belo poema, homem de letras consagrado como é. Tu agarraste bem o poema e também a tua parte é forte.
Beijos