quinta-feira, fevereiro 03, 2011

DESERTO DE SENTIMENTOS

REMATE PARA QUALQUER POEMA»

«Passeou pelos espelhos dos dias
suas clandestinas alegrias
que mal se reflectiram desertaram»

In:
«AQUELE GRANDE RIO EUFRATES»
Rui Belo
 
enviado por JPD
 
O meu comentário????
Como posso escrever um poema
se eu próprio sou uma sombra?
Como posso falar no Sol
e na Lua se não os olho de frente?
Como pude deixar que o dia
 se transformasse num pesadelo?
Como a vida se resume
a duas pequenas e ingratas palavras.....
Se fui ingrato para com o que vida me deu....
Ou acreditei demais no que ela me disse.....
Estou desiludido,
sinto-me abandonado....
Não pela vida;
por a ter afastado da alegria
e vivermos, os dois,
num deserto de sentimentos..

3 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Ao que chamo pensmento poético de Rui Relo. O belo poema será um resposta, diria cabal, mas um poema é um poema. E o teu pode ser visto também em separado.
Beijos

Je Vois la Vie en Vert disse...

Mesmo se as alegrias são fugitivas, sempre valeram a pena !
beijinhos
Verdinha

Graça Pires disse...

Ruy Belo tem uma poesia fabulosa.
"Como posso escrever um poema
se eu próprio sou uma sombra?"
Aqui estás a convocar as sombras para encontar a luz e voltar a encontrar a alegria que julgas ter perdido.
Um beijio, amiga.