quarta-feira, maio 04, 2011

INCOMPREENDIDA

Explicação da Ausência

Desde que nos deixaste o tempo nunca mais se transformou

Não rodou mais para a festa não irrompeu

Em labareda ou nuvem no coração de ninguém.

A mudança fez-se vazio repetido

E o a vir a mesma afirmação da falta.

Depois o tempo nunca mais se abeirou da promessa

Nem se cumpriu

E a espera é não acontecer — fosse abertura —

E a saudade é tudo ser igual.



Daniel Faria, in "Explicação das Árvores e de Outros Animais"

O meu comentário???
E o significado do tempo perde-se...
Na ausência incompreendida....
Porque nem sempre há razões....
ou palavras que expliquem essa dor..
Ausência, saudade....
Não sei que mais....
Apenas o corpo se arrasta
e a alma perdeu-se no horizonte....
 
 

5 comentários:

A. Jorge disse...

Excelente, Marta! Como Sempre!...

Beijos

Jorge

Sandra disse...

Muito bom! Adorei quer o poema quer o comentário ( que poesia é também).
Acho maravilhosa a forma como fazes poesia, como a cantas.
beijinho

Álvaro Lins disse...

Não vale a pena repetir, pouis não!?
Gostei
Bjo

Graça Pires disse...

"E a saudade é tudo ser igual"
Daniel Faria é excelente.
Do teu comentário, que me agradou muito realço "Porque nem sempre há razões....
ou palavras que expliquem essa dor..
Ausência, saudade....
Não sei que mais....
Um grande beijo, Marta.

Daniel Costa disse...

Marta

Tudo belo na escrita, baseado na na palavra incomprensâo, que muitas vezes o maior mal que existe.
Beijos