domingo, agosto 21, 2011

CHEIRO

Estes pequenos pensamentos são pequenas orações

Estes pequenos pensamentos são pequenas orações

de fidelidade ao teu corpo. Quem dera

que escutasses, destas horas, o cantar do sul,

as persianas do vento debaixo das estrelas,

os meus passos lá fora sobre a relva, junto

a uma imensa rosa de água azul.

Está tão quieto o ar. Tão sem ar o ar,

que o amor sufoca. A cama tem apenas

o aroma dos pinheiros por lençol. Sobre a pele dos mares,

a curva dos teus lábios, nenhuma brisa sopra.

No umbral da porta a manhã aguarda o teu sorriso,

esse jeito de acordar os pássaros do sol.

No pequeno jardim, entre as rápidas chamas da sardinheira

e o fresco ardor da madressilva,

as abelhas procuraram já o teu perfume.

de Joaquim Pessoa
 
O meu comentário????
São os desejos escondidos no vento...
Nas folhas que se espalham pelo jardim....
Na tranquilidade do gesto,
porque amar-te
é a essência da tranquilidade....
Como o jardim é o segredo
 da minha inspiração...
Onde ouço tudo,
todos têm algo a dizer....
Sem se importar com as horas.....
Apenas esse cheiro
que desliza em nós....
Será que amar tem cheiro????

4 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Dois bons poemas, sendo que o terá certa pertinência, a tua questão: "será que amar tem cheiro?"
Beijos

Silenciosamente ouvindo... disse...

Amar tem que ter cheiro
e cheiro que se goste.
Um prazer ter estado aqui.
Saudações bloguistas

Paixão Lima disse...

Sim! Julgo que amar tem cheiro e outras coisas mais...
Como desejos escondidos no vento e nas folhas que, no outono, se espalham pelo jardim...
A poeta é uma sensitiva porque é uma poeta...
Saber traduzir em belas imagens aquilo que se sente é um dom, mas também uma dor.

Graça Pires disse...

Joaquim Pessoa,sempre excelente.
O teu comentário é outro poema muito belo. Amar tem o cheiro do desejo mesmo que esteja "escondido no vento"...
Um grande beijo, Marta.