quinta-feira, fevereiro 09, 2012

DOCES

Não quero palavras doces.

Nem promessas perfumadas.

Quero que me digam a verdade,

mas não com crueldade.

Há milhões de palavras.

Escolham uma que não me destrua.

Poderia agora ser banal.

Chorar e ter pena de mim.

Mas não o vou fazer.

Porque há milhões de palavras.

E uma falar-me-á de esperança.

Poema de minha autoria
Direitos de autor reservados

4 comentários:

Daniel Costa disse...

Verdade Marta... há várias maneiras de se apresentar uma notícia por má que seja.
Beijos

Nilson Barcelli disse...

Há palavras para tudo.
E as tuas são belíssimas.
Marta, querida amiga, tem um bom domingo.
Beijo.

Je Vois La Vie en Vert disse...

De mim, só ouvirás palavras verdes ...de esperança !
Beijinhos
Verdinha

Sofá Amarelo disse...

De entre os milhões de palavras há sempre algumas palavras que falam de promessas perfumadas, mas essencialmente as que dizem as verdades e que falam de esperança!