segunda-feira, julho 09, 2012

OCULTAS VONTADES E TERNAS PALAVRAS

Em noites de lua cheia
Perdemo-nos
Descobrimo-nos
Por entre ocultas vontades e ternas palavras....

Em noites de lua cheia
Derrama-se a prata mais pura
Nos olhares e nos sentidos
Sentimo-nos deslumbrantes...

Em noites de lua cheia
Namora-se
Divaga-se
Sussurra-se…

A paixão, a magia completa
dessa noite de lua cheia
Em que todos somos poetas...

FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

6 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta

Ternas palavas, podem bem servir de ocultação das vontades, que os não sabem esconder.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

Em noites de Lua Cheia é quando tudo acontece, e os poetas se tornam ainda mais poetas, derramando prata pura por entre ocultas verdades, e o deslumbramento se transforma em magia, e a magia em paixão completa...

oteudoceolhar disse...

...
Todos os dias deveriam então ser dias de lua cheia, para as nossas almas e peito acalentar, com palavras e doces sentires, perdidas aos ventos e sorrisos soltos de tempos a tempos, nos minutos de lua cheia feita no ar. Por entre um e outro sussurrar, ao Luar.
Obrigada pela presença Marta.
Beijo n´oteudoceolhar *

Álvaro Lins disse...

Olá Marta - Tenho vontade de dizer que devia ser sempre lua cheia:)!
Excelente
Bjo

Nilson Barcelli disse...

As noite de lua cheia acontecem sempre que quisermos....
Excelente poema. Parabéns pelo talento que as tuas palavras revelam.
Um beijo, querida amiga.

© Piedade Araújo Sol disse...

em noites de lua cheia, tudo pode acontecer!

beij