domingo, outubro 28, 2012

ALENTO


Foto de José Alex Gandum

Posso ter perdido o verde
Mas foi só a cor...

Não perdi a esperança
de me reencontrar com o destino
Mesmo que rodopie 
nos corredores do vento
e esteja apenas seca, enrugada

Pode ser triste partir...
Mas volto,
com novo alento...

Deixa que o leia 
nos teus olhos
também...






6 comentários:

Sofá Amarelo disse...

E o verde se transforma em castanho e amarelo, e por sua vez esse castanho e amarelo se transformará em verde... porque a vida também é assim, uma eternidade de ciclos e de descobertas... assim queiramos que seja...

CamilaSB disse...

As cores vão e voltam... e a esperança renova-se a cada estação no verde dos nossos olhos :)
Lindíssimo poema Marta, gostei muito! Obrigada pelo carinho...
Beijinhos e tenha um bom final de Domingo!

© Piedade Araújo Sol disse...

Marta

mais um poema belíssimo e a foto que o acompanha faz justiça ao mesmo

parabéns aos dois

um beijo

LUZ disse...

Olá Marta,

Partir, por vezes, é chegar em várias cores.
Arco-íris de vida, no olhar dele.

Beijos da Luz.

tecas disse...

Divinal, querida Marta. Por morrer uma andorinha não acaba a primavera. Neste caso o verde foi-se mas ficou a esperança. Que ela sempre viva com todas as cores do seu belo post.
Beijinho e uma flor.

BlueShell disse...

Gosto, sim.-..perde-se o verde, só a cor...e sabe-se que volta...
Beijos em azul