sexta-feira, março 15, 2013

SANGUE








Foto de Jomar, "A Canção do Mar"


Por vezes, o amor deixa-nos a sangrar...



Estamos à deriva...Navegamos em emoções contraditórias...


Sem sabermos exactamente o que sentimos....Porque o negamos veementemente.....



Esta noite
 
Sou o mar encrespado de uma noite de tempestade...


7 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Muitas o Amor deixa-nos a sangrar porque só por si o Amor é.. violento!

Violento no sentido como são violentas as tempestades em noites de mar encrespado...

AC disse...

A agitação faz parte dos condimentos do amor...

Beijo :)

Sandra Subtil disse...

Quando há amor, quase sempre há sofrimento, agitação...
Bonito.
Beijinho

LUZ disse...

Olá, Marta!

O amor é aquela "entidade", um tanto controversa.

Amar não é, necessariamente, penar, mas temos dias, em que estamos com os panos das naus, um pouco às avessas, e depois, não resitimos ao temporal.

Beijos da Luz.

Novo poema no "Afetos e Cumplicidades". Obrigada!

Nilson Barcelli disse...

O amor pode mesmo fazer-nos sangrar. Mas também nos pode dar asas...
Belas palavras, gostei.
Marta, minha querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo.

Nuno Jesus disse...

olá, gosto do que escreve, também gosto de escrever, tenho apenas 16 anos e gostava que visse o meu blog e se talvez poderia ajudar-me partilhando-o. Até um dia :)

© Piedade Araújo Sol disse...

amar tem essas contradições...

;(