sábado, março 29, 2014

SENHORA DA NOITE

Da Página “Discover Art”



Esta noite,
escrevo uma história 
sobre a Senhora da Noite
Num palco encantado,
onde o monólogo é sobre a solidão
Abana-se a cabeça,
 incrédulo, 
pergunta-se...
Como pode a Lua sentir-se só,
se está rodeada de brilho?


5 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Não há quem seja imune à solidão...
Belo poema, gostei.
Marta, tem um bom fim de semana.
Beijos.

AC disse...

A Lua tem uma forma muito própria de ser: gosta de ser adulada de longe. Só assim - convicção dela - o feitiço se perpetua.

Beijo :)

Graça Pires disse...

A solidão. A lua. A Senhora da Noite
vigiando as sombras e o brilho...
Bonito poema, Marta.
Um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

podemos estar num salão iluminado e cheio de gente, e sentir que estamos sós.

belo poema o teu!

:)

Sofá Amarelo disse...

Lá por estar rodeada de brilho, a Lua pode sentir-se sozinha, porque as histórias da noite, apesar de serem sempre encantadas, são sempre monólogos sobre a solidão...