quarta-feira, março 19, 2014

HISTÓRIAS DE VERÃO

 

Quando não tenho ninguém com quem brincar, venho para aqui.
E, arrasto-te comigo, o que faz com que as pessoas grandes riam.
Um cão na biblioteca? Vai aprender a ler?”, mas deixam-nos em paz.
Ficam livres para fazerem o que só os adultos compreendem e nós vamos viajar...
O que vamos ser hoje?  Piratas?  Não, cowboys!
Melhor ainda, presidentes e decidir o destino dos adultos.
Regra Nº 1: A partir de hoje, não vamos comer mais sopa!

II

A história podia ser sobre o fascínio da menina pelo livro. Ou o cão que a protege lealmente.
Não, a minha história hoje é sobre o livro que a menina folheia.
Sobre o que as mãos que o folhearam, seguraram, acarinharam, lhe sussurram...
O que lhe fizeram sentir... Medo, desespero, alegria?
Quem sabe?
Histórias dentro da história que o livro abre aos olhos curiosos da menina e do cão num dia de Verão.

Resposta ao desafio tendo com base a imagem acima
(de autor desconhecido)


5 comentários:

Emília Pinto disse...

Nunca se sabe os segredos que se escondem nas páginas de um livro; cada mão que o pegou e o folheou deixou marcas, deixou sua interpretação, deixou os sonhos de viagens...de aventuras...de histórias de amor; essa mão o fechou...outra o abriu e nova história escreveu em cada página desse livro. E o livro lá fica guardado na prateleira...amarelecido pelo tempo mas carregadinho de diferentes emoções...sentimentos sentidos por cada mão que o pegou ao longo dos tempos.. Beijinhos, Marta e...adoro livros, principalmente no Verão, sentada na esplanada de um ensolarado café.
Emília
E

Pérola disse...

Histórias que se cruzam, contam vidas e nem sempre se conhecem.

Obrigado pela partilha.

beijinhos

Maria Rodrigues disse...

Marta hoje passo especialmente para desejar um Feliz Dia do Blogueiro.
Beijinhos
Maria

Sofá Amarelo disse...

Só as crianças têm poder para levar um cão para uma biblioteca e, quiçá, pô-lo a ler... quando se é criança não há limites para a imaginação (e, às vezes, para a acção)... e os livros contam histórias e mostram sítios onde só se vai em pensamento... e nisso ninguém bate as crianças...

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Nunca sabemos o que está num livro... Quem o lê conhece a história; o outro apenas efabula sobre ela... cada um lê com a sua grelha de leitura, e ele foi escrito com outra, e por isso nunca sabemos o que está num livro... que noutra altura ao ser relido nos pode dar outra imagem... :)

um beijinho amigo