sexta-feira, maio 09, 2014

MUNDO




TELA DE LYDA WYLANGOSKA


Não sei onde me leva o Vento
quando o dia adormece
e não aparece ainda a Lua...
Sigo as cores do entardecer
Flutuo nas marés
Gravo o meu nome na areia
E quando a Lua sorri,
estou já em paz com o Mundo...


6 comentários:

Pérola disse...

Que bom estar em paz.

Um poema que me tocou tanto pelo que desejaria que assim fosse comigo.

Beijinhos

Sofá Amarelo disse...

O Vento sopra brisa quando o dia adormece e a Lua vem iluminar as marés e as cores do entardecer em forma de sorrisos e de paz...

Graça Pires disse...

Gravar o nome na areia e ficar em paz... O vento vai atrás dos pássaros para adormecerem juntos...
Muito belo.
Um beijo, Marta.

Nilson Barcelli disse...

Com esse ambiente até dá para adormecer melhor...
Belo poema, gostei imenso.
Tem um bom fim-de-semana, querida amiga Marta.
Beijo.

José María Souza Costa disse...

Olá.
Vim até aqui, para lhe desejar um Dia das Mães, com alegria. ( domingo - 11/05 ).
Independente, de ser ou não, um tempo de saudade ( é o meu caso ). Os meus desejos de saúde e paz.
Abraços.

Daniel Costa disse...

Marta

Uma alegoria escrita, permitiu-te penetrar na escuridão s´
e no luar, para criar bonito poema.
Beijos