quinta-feira, maio 22, 2014

VITORIOSO



Um dia em que não escreva
é um dia em que não sonho
As nuvens não são a ponte levadiça
do castelo escavado na face da Lua
Nem as estrelas são as trombetas
que anunciam o regresso vitorioso do herói…
Nesses dias, não sou nada, pois apenas sobrevivi…
E até as palavras me amaldiçoam...



TELA DE ALBERTO PANCORBO


6 comentários:

AC disse...

Ah, as palavras...
Muito bem, Marta!

Beijo :)

Sofá Amarelo disse...

Dias há em que as nuvens são amaldiçoadas pelas palavras e os castelos escavados na face da Lua mais não são que trombetas de um sonho não escrito...

Daniel Costa disse...

Marta

Se escrevemos o que sonhamos, os sonhos nunca entram na bruma. Portanto dia em que não se escreve, não será de bom agoiro.
Beijos

Graça Pires disse...

Todas as palavras são sinais que nascem através de rituais nascidos nas ideias mais ausentes...
Um belo poema, Marta, a mostrar que escreve porque a sua alma lhe convoca as palavras...
Um beijo.

Agostinho disse...

Marta, é no afago do papel que os sons se soltam do coração.
Boa noite.

Nilson Barcelli disse...

Para quem escrever constitua uma necessidade, um dia sem palavras é uma dia complicado...
Excelente poema, gostei imenso.
Tem um bom fim de semana, querida amiga Marta.
Beijo.