segunda-feira, junho 02, 2014

BREVE NOTA




A quem me encontrar

Leiam-me

Escutem-me

pois só existo no sussurro do tempo

e em breve, diluir-me-ei na sombra...

Tudo o que peço é uma voz a dar-me alento...



IMAGEM DE DIMITRI SPIRUS


8 comentários:

Sofá Amarelo disse...

A voz das gaivotas já é um princípio no alento de um tempo que sussurra breve ao diluir-se na sombra...

Agostinho disse...

A gaivota sente alento
ao solta-se de manhã
na frescura do vento.

Daniel Costa disse...

Marta

Como sempre, a tua poesia é intimista. Digo por ti: leiam-me hoje, enquanto sinto.
Beijos

Pérola disse...

Fala...gosto de te ouvir...muito.

Beijinhos

Mar Arável disse...

Bjs tantos

© Piedade Araújo Sol disse...

e por vezes basta só um abraço....

beijo

:)

sub helena disse...

Marta lindo, especialmente a parte: "Tudo que peço é uma voz a dar-me alento."
Verdadeiro em mim... Beijo.

deep disse...

Uma voz, um olhar, um gesto que saibamos ser para nós...
Bonito poema. :)