quarta-feira, junho 11, 2014

CONTRADIÇÃO


Há coisas
que nunca saberei explicar
O porquê de não gostar do verde,
ter medo de atravessar uma ponte...
 
Sei que é uma contradição,
gostar do cheiro da relva...
Admirar o mar em fúria
a lutar contra o pontão...
Sentir toda essa beleza e prazer na alma,
e saber que nada e ninguém explicará...

FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

 

7 comentários:

Ailime disse...

Boa tarde Marta, outro poema belíssimo!
Contradições que só o coração poderá entender!
Um beijinho,
Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

todos nós temos as nossas contradições, e nem vale tentar explicações para elas,
a foto é também muito bonita.
:)

Daniel Costa disse...

Marta

As contradições marcam, as posições sentimentais, perante os elementos vivenciados.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

A vida em si já é uma contradição... ou várias contradições... por isso é bem possível gostar da relva e não do verde ou ter medo de atravessar uma ponte mas querer chegar com muita força ao outro lado...

Maria Emilia Moreira disse...

Olá Boa noite!
Na vida todos temos contradições, medos e ao mesmo tempo vontade de o desafiar! Procurar explicações para quê?!
Parabéns pelo poema. Abraços.

Graça Pires disse...

Nem tudo se explica... Muito menos o que o que é uma íntima contradição humana... Bonito, Marta.
Um beijo.

Agostinho disse...

Verde ponte amor...
que mais há senão contradição?
a liberdade do ser
a dualidade da vida.