sábado, agosto 30, 2014

CALMA


Ouve-se ao longe
a voz clara do arauto...
Boas notícias não traz,
pois ninguém perturba assim
a tranquilidade da madrugada...
Essa madrugada que,
se não perfeita,
-   pensava eu -
seria, pelo menos,
... calma ...



DA PÁGINA “DISCOVER ART”

6 comentários:

Ailime disse...

Boa noite Marta,
Que poema lindo e com uma ilustração também muito bela!
Amanhã, a madrugada chegará devagar. devagarinho, com muita calma!
Um beijinho e bom domingo.
Ailime

Manuel Luis disse...

Verás que a madrugada seguinte é diferente! Não existem madrugadas iguais.
Linda selecção no Discover.
Bj

Sofá Amarelo disse...

As madrugadas têm que ser calmas para que a tranquilidade das vozes claras ecoem serenamente pelos lagos de nenúfares...

Pérola disse...

Uma calma a convidar-me.

Beijinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

pois deviam ser )sempre) calmas, mas nem sempre são...

beijinho

:)

Agostinho disse...

Na madrugada
acabada ficou a espera.
E no entanto a calma
desespera.