quarta-feira, agosto 27, 2014

CONTO DE PRAZER



Este é um conto de prazer
Este é o conto do meu prazer
De beijos extravagantes...
Irresponsáveis...
.Intensos... Únicos...
Que fala de uma onda gigante,
de um calor brutal
que queima... enraíza-se...
e que nunca poderá ser descrito...
A não ser pelos amantes...
Quando o desejo se torna incontrolável...



TELA DE DARYL URIG 
“WOMAN ON THE BEACH LOOKING FOR SHELLS”

7 comentários:

Graça Pires disse...

Não sabemos onde é que o prazer sensual completa a nossa inocência...
Excelente poema, Marta.
Um beijo.

Daniel Costa disse...

Marta

As ondas quando se juntam, sempre criam inquietude, mas sempre acabam por tranquilizar o espírito.
Beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

uma boa definição de paixão...

muito bom !

:)

Sofá Amarelo disse...

Descrever o prazer é impossível mesmo que num 'conto de prazer', porque o parzer vaariaa de pessoa para pessoa e de situação para situação... mas os beijos extravagantes e os desejos incontroláveis são geralmente o preâmbulo de qualquer 'conto de prazer'!

Mar Arável disse...

Um dia seremos de novo crianças

Manuel Luis disse...

Um triângulo de prazer,inquietude, tranquilidade,extravagante.
Foram boa? As ferias acabam num instante.
Fico aqui até que me seja permitido.
Bj

Agostinho disse...

Quem disse que não há química no poema?