sexta-feira, maio 15, 2015

A CAMINHO DO SUL




Vou a caminho do Sul...
No rasto desse Vento desafiador...
Que se insinua à palma da minha mão,
e conquista lentamente a pele...
Abrindo sulcos, 
escavando trilhos,
descrevendo arcos...
Onde a vida se escreve...
Ruidosa, 
silenciosamente...



DE HESSAM ABRISHAMI

5 comentários:

oteudoceolhar disse...

...também eu vou rumo ao Sul....Rumo a onde me sinto em casa...
Sejam quais forem os trilhos seguidos ... rumo ao Sul eu vou ...

Beijo n´oteudoceolhar *

Sofá Amarelo disse...

Caminhando em direcção ao sul norte entre ruídos silenciosos ou silêncios ruidosos, é assim que o Vento se insinua na pele conquistando trilhos, sulcos e arcos... pois é assim que a vida se descreve em palavras...

Graça Pires disse...

Um silêncio ruidoso de alguém que corre para o sul como as aves na primavera...
Um poema muito belo.
Beijo.

Ailime disse...

Belíssimo poema, Marta!
"A caminho do sul", a busca da liberdade, do sonho merecido, apesar dos ruídos!
Um beijinho e uma boa noite.
Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

os silêncios por vezes são ensurdecedores...

:)