terça-feira, maio 19, 2015

HORA DE NINGUÉM



Espero-te...
Na 25ª hora...
Nessa hora em que tudo,
(quase tudo),
está adormecido...
Mas eu vigio a noite...
Espero o teu corpo,
o teu desejo...
Nessa hora de ninguém...


DE BATO DUGAZHAPOV

3 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

hora de ninguém, hora de sonhar...

belo!

:)

Emília Pinto disse...

E nessa " hora de niguém " é que encontramos a nossa hora, a hora da nossa alma onde buscamos a coragem para recomeçar um novo dia com as surpresas que ele sempre nos traz. Beijinhos, Marta e obrigada pelo carinho
Emília

Sofá Amarelo disse...

É na 25ª hora que se refugiam os desejos mesmo que tudo pareça adormecido...