quinta-feira, agosto 20, 2015

AO INFINITO




Sonhei
que era uma onda do mar...
Num dia calmo, sem brisa, de Verão
Só eu e o céu azul 
Abertos ao infinito
E à imaginação dos poetas...
Mas não sou uma onda do mar
nem sou um poeta...
Não sei o que diz o dia
Nem o que sussurra a brisa quando se levanta...
Sei apenas que o Verão está a terminar e eu não o vivi...

Meet the fall” Dorina Costras

6 comentários:

Daniel Costa disse...

Marta, o verão está a terminar, mas ficam sempre sussurros da maresia, a nos consolar. Quem bem conhece as marés, sabe que podem ser sempre sonhos de encantar.
Beijos

Sofá Amarelo disse...

Mas depois do Verão vem uma época de renovação... o Outono serve para ouvir o sussurrar da brisa por entre as folhas que caem... para que a seu tempo outras folhas nasçam... como uma onda no mar que vai e vem...

Graça Pires disse...

Ainda podes ser onda que balança os barcos como se fora uma mãe que embala os filhos... O verão ainda está aí...
Um beijo, Marta

© Piedade Araújo Sol disse...

Marta

ainda não acabou e enquanto assim for podes inventar novas ondas e a inspiração fará aquilo que já és POETA ou poetisa...

beijo

:)

Mar Arável disse...

O mar em todos os apeadeiros

Agostinho disse...

O encantamento pode revestir-se de outras vestes. Outros dias virão com o arrebatamento do Verão. Basta a poeta querer.