domingo, janeiro 10, 2016

TALVEZ NÃO



Encontra-me...
Não sei como ou onde...
Mas encontra-me...
Grita o meu nome bem alto
Pergunta por mim ao Vento
Talvez ele saiba onde eu estou
Ou talvez não...
Porque eu vivo apenas no teu sonho...



DE KAROL BAK

5 comentários:

Mar Arável disse...

... e já é tanto
Bj

Graça Pires disse...

Muito belo, Marta. O sonho, as quimeras que correm pelo sangue de quem quer o Amor...
Um beijo.

Sofá Amarelo disse...

O Vento sabe sempre onde estamos porque ele transporta os sonhos por sobre as mais altas montanhas...

© Piedade Araújo Sol disse...

e haverá coisa melhor que o sonho?!

só deixa de ser sonho, quando aparece outro sonho ao sonho.

e teu nome será o eco...

beijo

:)

Agostinho disse...

A Marta no rendilhado das emoções.
Gostei.

Quem sabe se do sonho
da irrealidade os contornos
da aventura da noite surgem
tal e qual a personagem?