domingo, julho 24, 2016

ONDAS



Hoje
vou conquistar o Mundo

VOU provocá-lo, ameaçá-lo,
fazer com que me peça clemência

Mas não vou escutá-lo
Não desta vez...
Porque o momento é meu

Talvez me respeite então
Como as gaivotas e o Vento
E não tenha medo de mim
Num simples dia de tempestade...



FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

5 comentários:

Graça Pires disse...

Ondas de um querer imenso que a tempestade concede...
Muito belo, Marta.
Um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

e querer é poder...mesmo em tempo de "tempestades"
muito belo
beijo
:)

Sofá Amarelo disse...

Fazer ondas, cortar ondas, olhar as ondas do mar ou as ondas da vida... a vida tem que ter ondas para que o vento e as gaivotas nelas naveguem...

Emília Pinto disse...

Fica dificil equilibrar o barco neste mar nem sempre calmo que é a vida; como ele, também ela tem marés e há que enfrentar as ondas gigantes que nos aparecem, usando de toada a nossa habilidade para equilibrar o barquinho. Sem medos, com coragem, tudo é possivel, Marta. Beijinhos e parabéns. Até breve, pois estarei ausente por alguns dias.
Emilia

Jaime Portela disse...

O medo e o respeito são coisas diferentes, como é óbvio. Mas às vezes é necessário um grito de revolta para colocar tudo no sítio...
Magnífico poema, minha querida amiga, gostei imenso.
Marta, tem um bom resto de semana.
Beijo.