segunda-feira, agosto 15, 2016

CONFINS DO CÉU



Espero-te
Aqui,
nos confins do Céu...
Onde o tempo
é uma palavra esquecida
e o amor?
O amor rejubila...




DE ANNA RAZUMOSKAVA

5 comentários:

Graça Pires disse...

Se o amor rejubila, não tarda que, por dentro dos desejos, aconteça um abraço...
Muito inspirador, Marta.
Um beijo.

Daniel Costa disse...

Marta
Beleza em poesia, beleza de pensamento poético.

Veja e comente o post
“São Luis – Ocupação Holandesa”
http://amornaguerra.blogspot.pt/
BRASIL: SORRISO DE DEUS.

Bjs

Mar Arável disse...

Quem espera sempre alcança
e desespera
Bj

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite, como tem passado, a amiga»!
Passei para lhe desejar um excelente período de férias!
Saudações poéticas!

Sofá Amarelo disse...

E o céu não tem fins, apenas confins, porque lá o tempo não tem tempo e o Amor pode assim rejubilar porque não tem fronteiras nem limites temporais...