terça-feira, janeiro 24, 2017

QUASE ERÓTICA



Persigo o Sol
Em busca de mim
Até que a noite se liberta
Nas sua cores e paixões
Numa dança sensual,
quase erótica...
E é aí que eu saio,
relutante,
do palco...



FOTO DE JOSÉ ALEX GANDUM

3 comentários:

Sofá Amarelo disse...

E se calhar é quando deverias entrar no palco, porque quando a noite se liberta nas suas cores e paixões tudo é possível, e as danças tornam-se sensuais, quase eróticas, em forma de Sol que irá reaparecer no fim do palco da noite...

Jaime Portela disse...

Nem sempre a melhor opção é sair do palco...
Mas gostei imenso do teu poema, é magnífico.
Querida amiga Marta, continuação de boa semana.
Beijo.

Mar Arável disse...

Abre o pano
cai o pano o tempo passa
Bj