sexta-feira, fevereiro 17, 2017

ONDA




Ah,
se eu pudesse ser uma onda
E soletrar o meu nome mágico na areia…

Por vezes pergunto a mim mesmo
Se os dias seriam perfeitos, felizes…

Ou se tudo é um sonho,uma quimera…


Pois será que o meu destino
É ser uma estranha à própria vida?





DE HELEN SOTIRIADIS

5 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Ninguém é estranho para a própria vida quando sonha ser onda desejando soletrar o nome mágico na areia...e o destino de cada um é sempre um sonho, uma quimera... pois nunca se sabe se os dias serão perfeitos, felizes...

Ailime disse...

Boa noite Marta,
Todos, alguma vez, já nos sentimos estranhos à própria vida, mas temos direito a sonhar com a felicidade!
Beijinhos e bom fim de semana.
Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes sentimos que somos estranhos, mas não somos...apenas temos momentos "estranhos".
muito belo!
boa semana
beijinho
:)

Graça Pires disse...

Sabemos o difícil jogo de viver e de sonhar. É por isso que a estranheza nos percorre os sentidos... Um poema melancolicamente belo, Marta!
Uma boa semana.
Beijos.

Manuel Luis disse...

Hoje é assim amanhã não sei. São momentos!
Bjs