segunda-feira, maio 29, 2017

SEDA




Seda…
Pura seda as noites
em que me dispo em ti…
Velejo na tua pele,
afundo e grito…
Um grito profundo, de prazer
que se funde em nó…






DE ANDREW CAD

4 comentários:

Sofá Amarelo disse...

E há nós apertados que não desmancham... são esses que são feitos de seda, velejam pelas noites a abafam gritos profundos...

Jaime Portela disse...

Grito fundido, prazer redobrado...
Excelente poema, gostei imenso.
Bom resto de semana, querida amiga Marta.
Beijo.

Ailime disse...

Boa noite Marta,
Um poema sensual, lindo!
Beijinhos,
Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

curto e sensual
gostei!
:)