quinta-feira, maio 17, 2018

CAPA



Posso ter a capa
rasgada e as folhas amareladas…
Mas sou e serei sempre
um Livro que alguém leu,
Que alguém amou...
E, depois…
Esqueceu-se de si e de mim…


 IMAGEM DE DORINA COSTRAS

6 comentários:

Jaime Portela disse...

Os esquecimentos, infelizmente, fazem parte da vida.
Poema magnífico, parabéns.
Continuação de boa semana, querida amiga Marta.
Beijo.

Larissa Santos disse...

Muito sentido :))

Hoje:- Não sofras por não me teres, não é verdade.

Bjos
Votos de uma óptima Quinta - Feira

Cidália Ferreira disse...

Gostei da profundidade!


Beijo e um dia feliz!

Nataline disse...

Gostei da ternura da imagem.
.
Abraço

Ailime disse...

Boa noite Marta,
Magnífico poema de um amor que perdurá para lá do tempo, apesar de aparentemente ter terminado.
Quem ama ou amou ficará sempre marcado por esse amor.
Um beijinho e bom fim de semana.
Ailime
(Obrigada pela sua visita).

Sofá Amarelo disse...

Há livros que um mesmo livro foi lido por várias pessoas... com visões e sentimentos diferentes... as folhas amarelam com o tempo mas deixam as impressões de quem o manuseou...