segunda-feira, fevereiro 14, 2005

FALAR EM TRISTEZA

Voltei a escolher um poema de :

PABLO NERUDA – CREPUSCULARIO
"
Fui teu, foste minha.
Tu serás de quem te ame,
Do que corte em teu horto aquilo que eu plantei.

Eu me vou. Estou triste, mas eu estou sempre triste.
Eu venho dos teus braços. Não sei para onde vou.
........
"
Não está completo, pois apenas escrevi a parte com que me identifiquei.
Dizem os outros que estou sempre triste e não nego que, às vezes não sei para onde vou!
Tal como Pablo!
Estes versos tanto podem falar duma mulher que ele deixou ou da Pátria que o obrigou a sair!
Inclino-me mais para que seja de uma mulher, porque nunca deixamos de amar a nossa Pátria e de procurar as nossas raízes.
Aqui no nosso próprio País ou algures nesse mundo!
Saudade que nos mata de frio e de desgosto!

1 comentário:

Carmem L Vilanova disse...

Alegria amiga! Pois só sente saudades quem já sentiu amor, ou ainda o sente... E amar, de todas as formas, é uma bênçao, é algo que deve ser agradecido todos os dias, pois se amamos, somos privilegiados... Há aqueles, acredite, que nunca conheceram o amor... Eles sim, sao tristes!
Muitos beijinhos neste Dia de Sao Valentim!
PS: Recebi tua mensagem, vou responder... :)