segunda-feira, junho 13, 2005

FALAR DE AMOR SE ESTOU MORTO

E COMO FALAR DE AMOR SE ESTOU MORTO?
E como falar de amor se estou morto?
Se nós mortos não temos paixões,
nem de humanos afectos sentimentos
somente dos vivos somos o espanto
Cartas do Inferno - Ramon Sampedro

É um poema violento - sente-se a angústia, a frustação, a dor deste homem, que ficou tetraplégico e quis morrer, porque a vida deixou de ter sentido.
Nada mais posso dizer; apenas gostava de receber os vossos comentários!

Sem comentários: