terça-feira, abril 22, 2008

ESTAR SÓ

Não tenho ambições nem desejos.


ser poeta não é uma ambição minha.


É a minha maneira de estar sozinho. ...





Fernando Pessoa (excerto)



O meu comentário???

Não se está sozinho...

Rodeado por palavras, soltas, em prosa, em poesia...

Falar de sonhos e do azul...

Sentir o mel....

Correr atrás do vento....

Respirar o silêncio....

Como se pode estar só??????????????????

4 comentários:

Marta Ribeiro disse...

"Todas as prendas que me deste, um dia,
Guardei-as, meu encanto, quase a medo,
E quando a noite espreita o pôr-do-sol,
Eu vou falar com elas em segredo ...

E falo-lhes d'amores e de ilusões,
Choro e rio com elas, mansamente...
Pouco a pouco o perfume do outrora
Flutua em volta delas, docemente ...

Pelo copinho de cristal e prata
Bebo uma saudade estranha e vaga,
Uma saudade imensa e infinita
Que, triste, me deslumbra e m'embriaga"

Adicionei-te o teu blog aos que leio e apresio...
Serás sempre bem vindo (a)

Jordan Duailibe disse...

"Sentir o mel...correr atr�s do vento"...Nossa isso remo�a em muito todos os sentidos da alma.E puxar Fernando Pessoa ent�o,com seus versos t�o precisos...Mas confesso que sou todo Florbela Espanca...:)

Marta Ribeiro disse...

nunca estamos sós, estamos sempre com nós próprios que até é uma companhia agradável

beijinho

Sol da meia noite disse...

Sozinhos nascemos e morremos...

Bjs